Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS | (51) 3231-4260
Sinal 5G poderá chegar a mais 395 municípios de seis estados brasileiros
Quinta, 21 de Março de 2024

Sinal 5G poderá chegar a mais 395 municípios de seis estados brasileiros

A partir da próxima segunda-feira (18), operadoras podem solicitar ativação e licenciamento, totalizando o potencial de 3.678 municípios em todo o país

O Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (GAISPI) realizou reunião ordinária na semana passada. Durante o encontro, foi deliberado que as prestadoras que adquiriram lotes na faixa de 3,5 GHz poderão solicitar à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), entidade vinculada ao Ministério das Comunicações (MCom), o licenciamento e ativação de estações de 5G em mais 395 municípios de seis estados brasileiros a partir do dia 18 de março. O setor de rádio tem total interesse na nova tecnologia e, por vários motivos, acompanha a sua implantação.

“Além de cumprir os prazos estabelecidos no edital do leilão 5G, o MCom tem cobrado as operadoras para anteciparem os prazos e aperfeiçoarem a qualidade da cobertura em regiões que contam com problemas ou ainda seguem sem sinal”, lembrou o ministro das Comunicações, Juscelino Filho.

Os estados beneficiados com essa decisão são Bahia, Goiás, Minas Gerais, Pará, Pernambuco e Piauí. A partir de agora, um total de 3.678 municípios estão liberados para a utilização da faixa de 3,5 GHz para o 5G standalone, beneficiando cerca de 181,3 milhões de brasileiros, o que representa aproximadamente 85% da população do Brasil.

No entanto, é importante ressaltar que a liberação da faixa não implica na instalação imediata das redes 5G nessas localidades. Cada prestadora precisará planejar individualmente a instalação das estações de quinta geração.

5G interessa para o rádio e para todos os setores econômicos do país

O 5G é fundamental para a chamada "economia 4.0", revolução tecnológica que poderá acelerar novos hábitos de consumo de mídia em todo o planeta. O rádio, que já experimenta um avanço de seu alcance digital através de várias iniciativas on-line, impulsionadas pela maior oferta de conexão por parte de ouvintes e também de dispositivos disponíveis (como smartphones e smart speakers), é um grande interessado nesse processo.

Para se ter uma ideia do crescimento da audição digital de rádio, segundo o último Inside Radio 2022, da Kantar IBOPE Media, o consumo de estações on-line já atinge 7,4 milhões de pessoas em 13 regiões brasileiras, com um acréscimo de 85% neste volume de consumo entre 2019 e 2022

Com alta velocidade, boa cobertura e baixa latência do 5G, usuários já cogitam até abandonar planos de banda larga e ficar apenas com a rede móvel. Mas como isso afeta o rádio? Esse cenário abre uma janela de oportunidades para o crescimento digital das emissoras, mas também traz desafios

Como empresas, o rádio também pode experimentar benefícios operacionais através do avanço da conectividade e novas formas de ganhos, como o crescimento do mercado programático através do áudio digital e o fortalecimento de iniciativas como o rádio híbrido, que combina os pontos fortes da operação via dial (FM/AM) com streaming (e outros dados oferecidos pelas estações). 

Até onde é possível enxergar, considerando o que temos hoje disponível ao grande público em larga escala, existe uma real possibilidade de crescimento rápido da demanda por conteúdo digital através do 5G, especialmente áudio via streaming. E isso é positivo para as emissoras, que já disponibilizam esse tipo de conteúdo, tendo como desafio tornar esse acesso de forma simples e rápida para o usuário, similar à lógica do rádio FM. Por ser um fluxo mais leve atualmente, a tendência de crescimento do streaming das emissoras com um 5G mais presente e estável é real, considerando a ampla oferta de smartphones de diferentes preços e marcas disponíveis no Brasil. A combinação de FM disponível nos aparelhos e conexão de dados pode representar um futuro próximo muito promissor para o conteúdo de rádio.

Com o avanço do já citado mercado programático, há a expectativa de uma maior participação do rádio no investimento em publicidade digital, conforme a escala de consumo de plataformas on-line das emissoras seja ampliada.

Com informações do Ministério das Comunicações

Fonte: Tudo Rádio
Compartilhe esta notícia:

Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS
Rua Riachuelo, 1098 - Sala 204 - Bairro Centro
CEP: 90.010-270 - Porto Alegre - RS
FONE: (51) 3231-4260
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

ACESSE NOSSAS REDES

SINDIRÁDIO ® TODOS OS DIREITOS RESERVADOS