Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS | (51) 3231-4260
 Marcas mais valiosas do Brasil seguem investindo em rádio durante a pandemia
Terça, 13 de Outubro de 2020

Marcas mais valiosas do Brasil seguem investindo em rádio durante a pandemia

Pesquisas da BrandZ, Kantar Ibope Media e Fecomércio Paraná mostram cenário favorável ao meio rádio

Por Germano Assad
Comunicação AERP - Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná

O comércio sempre foi um bom termômetro para medir a temperatura da economia. Pesquisa conjuntural da Fecomércio PR (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná) mostra que o estado segue a tendência nacional de recuperação, e está conseguindo baixar a febre da crise causada pela pandemia da Covid-19.

Apesar do volume menor de vendas (9,11%) em comparação ao ano passado, no acumulado de janeiro a julho,a pesquisa apontou aumento de 6,71% nas vendas em julho na comparação com junho, marcando o terceiro mês consecutivo de alta.

Quem lidera a retomada é o interior. Londrina e entorno registraram o maior aumento (12,36%), seguidos pela região oeste (10,58%), sudoeste (9,85%), Curitiba e região metropolitana (3,99%), Ponta Grossa (3,54%) e Maringá (2,84%), impulsionados principalmente pelos setores de material de construção, combustíveis, farmácias, autopeças, supermercados, óticas, cine-foto-som e concessionárias de veículos.

Outros três índices que medem tendências de ação do empresário do comércio com base em confiança na atual situação, expectativas e investimentos (ICEC, IEEC e IIEC) endossam a recuperação, revelando aumento gradual de contratações ao longo dos meses de julho, agosto e setembro.

Convergência

Para o atual vice-governador do estado e presidente licenciado da Fecomércio PR, Darci Piana, uma novidade de “cunho permanente” trazida pela pandemia, e que tem ajudado muito o comércio nesta retomada é a adoção de plataformas digitais.

“O que era eventual e recreativo passou a ser exigido profissionalmente. As ferramentas evoluíram e permitiram que o mundo estivesse conectado sem contato físico. Reuniões virtuais, vendas on-line, lives sobre todos os assuntos, aulas à distância, tudo isso entrou no dia a dia dos dirigentes e colaboradores”, declarou, em artigo publicado com a pesquisa.

Piana finaliza falando sobre o corte de investimentos.“Um conselho aos empresários: não vejam a crise como um momento de cortar custos. Pensem em investir em novas áreas, em novas tecnologias. Haverá muitas oportunidades para as empresas que se adaptarem em tempo real”.

Inside Radio

Dentre todos os veículos de comunicação tradicionais, o rádio é o que melhor se adaptou aos novos hábitos de consumo e tecnologias disponíveis. E segue campeão em termos de alcance. A opinião é de Giovana Alcântara, diretora comercial da Kantar Ibope Media. “O alcance local oferece ao rádio um papel essencial e democrático, trazendo senso de coesão social a um país continental como o Brasil”.

Detalhando o estudo Inside Radio 2020 para o ‘Aerpao Vivo’ na última quinta-feira (01/10), ela numerou dados expressivos, como os 78% do total de entrevistados, por exemplo, se identificando como consumidores de rádio.Entre a população da grande Curitiba o número salta para 83%. Destes, 3 a cada 5 escutam todos os dias.

E ainda que 81% destes ouvintes continuem sintonizandoa emissora de preferência pelo rádio comum, Alcântara justificou a capacidade de adaptação da mídia pelo aumento contínuo de acessos digitais, em sua grande maioria através de aparelhos telefônicos, por um público de perfil mais jovem e elitizado.

9% da população das 13 regiões metropolitanas contempladas no estudo ouviram rádio por plataforma digital nos últimos 30 dias, um aumento de 38% em relação ao ano passado, e o tempo médio de consumo diário também aumentou, de 2’40’’ para 2’55’’. Entre os internautas brasileiros, constatou-se que uma parcela significativa, de 57%, escuta rádio. E destes, 16% sintonizam alguma emissora enquanto navegam, o que indica público e oportunidades no universo online para a presença radiofônica em seus diversos formatos.

Um dos formatos mais utilizados hoje e que já caiu nas graças do ouvinte são os podcasts, que permitem ao radiodifusor alcançar ouvintes sob demanda. 24% dos ouvintes usaram podcasts durante a pandemia, sendo que 10% deles aumentaram o consumo e 7% usaram pela primeira vez no período.

Alcântara lembrou que o uso estratégico de plataformas de streaming como Spotify e Deezer, recorrentes para 46% dos ouvintes durante a pandemia, podem amplificar tanto audiência quanto alcance dos podcasts produzidos pela rádio.

BrandZ Top 50 Most Valuable Latin American Brands 2020

Outra pesquisa citada pela diretora comercial da região sul e sudeste da Kantar Ibope Media, foi a BrandZ Top 50 Most Valuable Latin American Brands 2020, que apresenta, como o próprio nome indica, o ranking das marcas mais valiosas na América Latina neste ano. Segundo a profissional, metade destas marcas anunciou em rádio no primeiro semestre de 2020.

“Estas empresas encontraram no rádio um meio com grande vocação para se sobressair. Os destaques são os setores de serviços ao consumidor, comércio, financeiro e securitário, que juntos concentram 68% do investimento”.

Aliando a retomada gradativa do comércio à confiança do empresariado e ao crescimento contínuo do rádio em seus diferentes formatos e plataformas o horizonte é de um cenário propício. É hora de retomar os contatos comerciais e prospectar potenciais novos anunciantes, entre as mais de 2.900 novas marcas que passaram a investir no rádio em 2020 e as mais de 3.300 marcas que sempre investiram.

Compartilhe esta notícia:

Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS
Av. Getúlio Vargas, 774 - CJ 604 - Bairro Menino Deus
CEP: 90.150-002 - Porto Alegre - RS
FONE: (51) 3231-4260

ACESSE NOSSAS REDES

SINDIRÁDIO ® TODOS OS DIREITOS RESERVADOS