Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS | (51) 3231-4260
eMarketer aponta que maior parte da receita de áudio digital vem de assinaturas pagas
Terça, 04 de Janeiro de 2022

eMarketer aponta que maior parte da receita de áudio digital vem de assinaturas pagas

O número é impulsionado pelas plataformas de streaming de música. Outras receitas, como anúncios, devem evoluir conforme a mídia programática em áudio cresça

Um levantamento divulgado pela eMarketer em dezembro passado aponta que o faturamento de áudio digital vem diretamente de assinaturas pagas, panorama este impulsionado pelos serviços de streaming de áudio. Porém, a diferença entre a divisão das receitas entre assinaturas e anúncios (com destaque para a programática) está diminuindo. A expectativa, conforme já abordado pelo tudoradio.com em 2021, é de que o áudio evolua na publicidade digital, algo que pode beneficiar diretamente as emissoras de rádio. Acompanhe:

Hoje, 63,8% de toda a receita de áudio digital vem de assinaturas pagas, contra apenas 36,2% de anúncios / publicidade. Os dados são de 2021 e a eMarketer faz uma projeção até 2025, quando 62,1% das receitas serão de assinaturas e 37,9% para anúncios e outros formatos de receita. A maior distância entre essas duas fontes será observada neste ano de 2022, com 63,9% para assinaturas, contra 36,1% para a publicidade.

Importante gerador de conteúdo de áudio digital, seja pelo streaming de áudio das emissoras AM/FM ou pela produção de podcasts, o rádio é quem auxilia o maior volume de receitas provenientes de anúncios, ou seja, por distribuir conteúdos de forma gratuita para o seu público. Dessa forma, a receita de iniciativas digitais do rádio fica na dependência da evolução da publicidade no áudio, esta que sofreu com turbulências durante o período mais agudo da pandemia da covid-19.

O problema imediato para o rádio, existe o fato de que seu público não está disposto a pagar pelo conteúdo de áudio gerado, inclusive no digital, conforme já mostrou o tudoradio.com anteriormente, em levantamento divulgado pela Nielsen, em 2020.

Porém há uma vantagem: o rádio é o maior "carregador de anúncios em áudio" entre todas as plataformas, seja nos mundos on e offline. E com o crescimento de seus conteúdos no digital, a tendência é de um avanço mais significativo na receita originada em anúncios via streaming, conforme já apontam empresas do setor. O crescimento da mídia programática em áudio digital deve auxiliar diretamente nesse cenário.

Novamente sobre o levantamento da eMarketer, a pesquisa incluiu receitas de publicidade de áudio digital em rádio AM / FM digital, rádio de Internet pureplay, rádio por satélite e serviços de streaming como Pandora e Spotify, que são parcialmente financiados por publicidade em áudio.  “Conforme a receita de assinaturas aumentou entre 2018 e 2021 como uma parcela das receitas de áudio totais, os gastos com anúncios digitais diminuíram”, de acordo com a eMarketer. 

61d36d6b6c810.jpg

Com informações do RAINNews

Fonte: Tudo Rádio
Compartilhe esta notícia:

Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS
Rua Riachuelo, 1098 - Sala 204 - Bairro Centro
CEP: 90.010-270 - Porto Alegre - RS
FONE: (51) 3231-4260
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

ACESSE NOSSAS REDES

SINDIRÁDIO ® TODOS OS DIREITOS RESERVADOS