Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS | (51) 3231-4260
Quinta, 17 de Setembro de 2020

Anunciantes podem estar gastando até 20% do orçamento com anúncios vistos por cliques falsos no Facebook, diz estudo

Segundo consultoria americana, gigantes tech têm tecnologia para detectar as fraudes na visualização da publicidade on-line, mas não a aplicam corretamente

Segundo o estudo, o Facebook dispõe de tecnologia para bloquear os bots e impedi-los de visualizar e clicar em anúncios, mas a empresa de Mark Zuckerberg não está fazendo o suficiente para coibir a prática fraudulenta.

As fraudes em anúncios têm atormentado empresas que pagam plataformas online, incluindo Facebook, Google, Yahoo e Bing (da Microsoft) por visualizações, cliques, curtidas e instalações de aplicativos.

Navegadores controlados por robôs, ou bots, se tornaram mais sofisticados ao imitar atividades humanas, como clicar em anúncios, abrir páginas da web, baixar aplicativos e preencher formulários. Isso está fazendo com que os anunciantes paguem mais por atividades falsas, disse a MMI  em seu relatório.

O Facebook cobra dos anunciantes por visualizações e cliques em anúncios. Uma investigação da MMI revelou que o Facebook torna mais fácil para os bots fazerem login, visualizar páginas e clicar em anúncios.

O relatório alega que o gigante da mídia social com sede em Menlo Park, Califórnia, tem a tecnologia para bloquear atividades fraudulentas, mas apenas a implanta na fase de registro da conta, e não para logins, visualização de conteúdo ou interação com anúncios.

Essas plataformas estão sendo pagas por visualizações e cliques. E elas podem se beneficiar disso, sejam eles humanos ou não - disse Sachin Dhar, diretor de pesquisa e estratégia da MMI.

O estudo simulou um navegador automatizado fazendo login na plataforma do Facebook, e o software foi capaz de interagir com anúncios visíveis na página. Ao detectar e bloquear o registro de novas contas de bots em sua plataforma, o Facebook mostrou que pode implementar com sucesso técnicas de bloqueio de bots, disse a MMI. Mas não basta, concluiu a consultoria.

O Google, da Alphabet, por sua vez, não consegue reunir informações valiosas sobre o tráfego potencial de bots, disse a MMI.

- O que o Google está fazendo não é nem mesmo tentar medir se um navegador ou dispositivo usado para clicar em um anúncio é um bot ou não - disse Dhar. - Eles não estão coletando nenhum dos parâmetros que são úteis para fazer essa detecção.

Fonte: Bloomberg
Compartilhe esta notícia:

Sindicato das Empresas de Rádio e TV do RS
Av. Getúlio Vargas, 774 - CJ 604 - Bairro Menino Deus
CEP: 90.150-002 - Porto Alegre - RS
FONE: (51) 3231-4260

ACESSE NOSSAS REDES

SINDIRÁDIO ® TODOS OS DIREITOS RESERVADOS