NOTÍCIAS   PÁGINA INICIAL
16/05/18
FORMATO “ADULTO-CONTEMPORÂNEO” REGISTRA ALTA EXPRESSIVA DE AUDIÊNCIA NO INÍCIO DE 2018 NOS ESTADOS UNIDOS
Nielsen aponta que o “Pop - Top 40” segue na liderança entre os “Millennials”, mas tem perdido participação

 

A Nielsen, principal instituto de pesquisa na área de comunicação nos Estados Unidos, apresentou ao mercado um relatório que aponta o comportamento dos formatos de rádio naquele país, em amostra relacionada ao primeiro trimestre de 2018 em comparação com os anos anteriores. A pesquisa aponta um crescimento considerável nos formatos conhecidos como “Adulto-Contemporâneo” e “Classic Hits”, devido ao seu apelo de massa na população norte-americana. Acompanhe:
O formato “Adulto-Contemporâneo”, este que passou por várias evoluções nas rádios norte-americanas nos últimos anos, com destaque para o desempenho de estações como Lite FM 106.7 (líder isolada em audiência no mercado de Nova York) e Kost FM 103.5 (que assumiu a liderança em Los Angeles a partir de março), segue evoluindo em todo o país. 
Esse avanço é motivado pelo apelo de massa do formato e também pela variação da programação realizada pelas emissoras, principalmente nas épocas festivas de fim de ano (quando as grades são adaptadas à esse período), resultado em resultados expressivos no início do ano. Porém, na comparação com os anos anteriores (primeiro trimestre de cada), o formato “adulto-contemporâneo” tem evoluído desde 2014, inclusive entre públicos mais jovens (18 a 34 anos - Millennials - Geração Y ou da Internet no Brasil). 2018 foi o melhor começo de ano para o formato desde 2012.
O mesmo ocorre com os formatos “Classic Hits” e “Classic Rock”, sendo o primeiro mais influenciado pelo “Pop”. Segundo a Nielsen, esses dois formatos estão em evolução nos Estados Unidos, sendo que o “Classic Rock” teve o seu pico no verão em 2016 e 2017 daquele país, enquanto o “Classic Hits” ficou no topo nessa mesma época, mas em 2014 e 2015. No momento, o “Classic Hits” tem registrado resultados levemente superiores ao “Classic Rock” no primeiro trimestre de 2018, segundo a Nielsen.
Pop CHR ainda em alta
Entre os Millennials (Geração Y, de 18 a 34 anos), o Pop CHR (Pop Contemporary Hit Radio, conhecido como Pop, Top 40 no Brasil) segue na liderança isolada entre os formatos preferidos desse público no começo de 2018, mas tem perdido participação desde 2016. O Country aparece na sequência e está estável na comparação com os últimos anos (em cada primeiro trimestre), seguido de muito perto pelo Adulto Contemporâneo (AC, que está crescendo) e o HOT AC (que varia mais entre o Pop-Top 40 e o adulto-contemporâneo).
Apesar da alta dos formatos “Classic Hits” e “Classic Rock”, todos esses formatos citados no parágrafo acima contam com uma parcela bem superior de participação no mercado entre o público de 18 a 34 anos. 
O relatório ainda destaca a força do meio rádio nos Estados Unidos, mercado que segundo a Nielsen atinge semanalmente 93% da população adulta local, resultando em 243 milhões de ouvintes no país norte-americano. A “força do rádio” entre a população brasileira também foi destaque no tudoradio.com através do panorama realizado pelo Kantar Ibope Media, este que comparou o desempenho do rádio local com o meio em outros países (veja aqui).

A Nielsen, principal instituto de pesquisa na área de comunicação nos Estados Unidos, apresentou ao mercado um relatório que aponta o comportamento dos formatos de rádio naquele país, em amostra relacionada ao primeiro trimestre de 2018 em comparação com os anos anteriores. A pesquisa aponta um crescimento considerável nos formatos conhecidos como “Adulto-Contemporâneo” e “Classic Hits”, devido ao seu apelo de massa na população norte-americana. Acompanhe:

 

O formato “Adulto-Contemporâneo”, este que passou por várias evoluções nas rádios norte-americanas nos últimos anos, com destaque para o desempenho de estações como Lite FM 106.7 (líder isolada em audiência no mercado de Nova York) e Kost FM 103.5 (que assumiu a liderança em Los Angeles a partir de março), segue evoluindo em todo o país. 

 

Esse avanço é motivado pelo apelo de massa do formato e também pela variação da programação realizada pelas emissoras, principalmente nas épocas festivas de fim de ano (quando as grades são adaptadas à esse período), resultado em resultados expressivos no início do ano. Porém, na comparação com os anos anteriores (primeiro trimestre de cada), o formato “adulto-contemporâneo” tem evoluído desde 2014, inclusive entre públicos mais jovens (18 a 34 anos - Millennials - Geração Y ou da Internet no Brasil). 2018 foi o melhor começo de ano para o formato desde 2012.

 

O mesmo ocorre com os formatos “Classic Hits” e “Classic Rock”, sendo o primeiro mais influenciado pelo “Pop”. Segundo a Nielsen, esses dois formatos estão em evolução nos Estados Unidos, sendo que o “Classic Rock” teve o seu pico no verão em 2016 e 2017 daquele país, enquanto o “Classic Hits” ficou no topo nessa mesma época, mas em 2014 e 2015. No momento, o “Classic Hits” tem registrado resultados levemente superiores ao “Classic Rock” no primeiro trimestre de 2018, segundo a Nielsen.

 

Pop CHR ainda em alta

 

Entre os Millennials (Geração Y, de 18 a 34 anos), o Pop CHR (Pop Contemporary Hit Radio, conhecido como Pop, Top 40 no Brasil) segue na liderança isolada entre os formatos preferidos desse público no começo de 2018, mas tem perdido participação desde 2016. O Country aparece na sequência e está estável na comparação com os últimos anos (em cada primeiro trimestre), seguido de muito perto pelo Adulto Contemporâneo (AC, que está crescendo) e o HOT AC (que varia mais entre o Pop-Top 40 e o adulto-contemporâneo).

 

Apesar da alta dos formatos “Classic Hits” e “Classic Rock”, todos esses formatos citados no parágrafo acima contam com uma parcela bem superior de participação no mercado entre o público de 18 a 34 anos. 

 

O relatório ainda destaca a força do meio rádio nos Estados Unidos, mercado que segundo a Nielsen atinge semanalmente 93% da população adulta local, resultando em 243 milhões de ouvintes no país norte-americano. A “força do rádio” entre a população brasileira também foi destaque no tudoradio.com através do panorama realizado pelo Kantar Ibope Media, este que comparou o desempenho do rádio local com o meio em outros países.

 



Fonte: TUDO RÁDIO
 
   
Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado do Rio Grande do Sul
Av. Getúlio Vargas, 774 - cj 604 - Bairro Menino Deus
CEP: 90.150-002 - Porto Alegre - RS - Fone: (51) 3231-4260
 
Sindiradio ® Todos os direitos reservados