NOTÍCIAS   PÁGINA INICIAL
08/11/17
ASSINATURA DO DECRETO DA MIGRAÇÃO DAS AMS COMPLETA QUATRO ANOS
Ao todo, cerca de 240 emissoras já migraram neste período em todo o Brasil

 

Há exatamente quatro anos, a ex-presidente Dilma Rousseff, juntamente com o ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, assinava o decreto que autoriza a migração das rádios AMs para o dial FM. Desde então, cerca de 240 emissoras já fizeram a adaptação de outorga AM-FM em todo o Brasil. 
Desde a assinatura, o então Ministério das Comunicações e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vêm mantendo um cronograma para fazer a adaptação das outorgas. Os órgãos governamentais realizaram cerimônias em diversos estados para agilizar a assinatura do ato de adaptação de outorga, para viabilizar a migração AM-FM. 
Com isso, houve maior celeridade na migração AM-FM. Segundo os dados do tudoradio.com, São Paulo chegou a marca de 35 migrantes ativas na faixa FM, número reforçado com as estreias ocorridas no Vale do Paraíba. Já o Brasil está se aproximando da marca de 240 migrantes AM-FM que já completaram o processo de ida para a faixa FM, segundo levantamento do tudoradio.com, publicado na manhã de hoje (7).
O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, definiu 2020 como prazo para que o MCTIC consiga migrar todas as rádios que operam na faixa AM para a modulação FM. Durante o mutirão de migração de emissoras em Belém (PA), realizado no mês passado, ele destacou que a mudança será benéfica para toda o setor.
 
“O nosso objetivo é fazer com que o Brasil conte, até 2020, com todas as emissoras operando no modelo FM. É mais eficiente, é mais barato o custeio, a qualidade do áudio é muito melhor. Com isso, os profissionais podem receber melhores salários, a emissora, com o que economiza de recursos, pode investir em melhores programações. Ganha em qualidade a radiodifusão e, portanto, o Brasil”, afirmou.
 
Até o fim de 2017, o MCTIC pretende completar o processo de migração para cerca de mil emissoras AM. Das 1.781 rádios AM do Brasil, 1,5 mil solicitaram a mudança. Nesta primeira etapa, os veículos poderão operar na faixa atual de FM, de 88 FM a 108 FM. As demais candidatas terão que esperar a conclusão do processo de digitalização da televisão, que vai liberar espaço para a modificação.

 

Há exatamente quatro anos, a ex-presidente Dilma Rousseff, juntamente com o ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, assinava o decreto que autoriza a migração das rádios AMs para o dial FM. Desde então, cerca de 240 emissoras já fizeram a adaptação de outorga AM-FM em todo o Brasil. 

Desde a assinatura, o então Ministério das Comunicações e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vêm mantendo um cronograma para fazer a adaptação das outorgas. Os órgãos governamentais realizaram cerimônias em diversos estados para agilizar a assinatura do ato de adaptação de outorga, para viabilizar a migração AM-FM. 

Com isso, houve maior celeridade na migração AM-FM. Segundo os dados do tudoradio.com, São Paulo chegou a marca de 35 migrantes ativas na faixa FM, número reforçado com as estreias ocorridas no Vale do Paraíba. Já o Brasil está se aproximando da marca de 240 migrantes AM-FM que já completaram o processo de ida para a faixa FM, segundo levantamento do tudoradio.com, publicado no dia 07/11/2017.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, definiu 2020 como prazo para que o MCTIC consiga migrar todas as rádios que operam na faixa AM para a modulação FM. Durante o mutirão de migração de emissoras em Belém (PA), realizado no mês passado, ele destacou que a mudança será benéfica para toda o setor.

 “O nosso objetivo é fazer com que o Brasil conte, até 2020, com todas as emissoras operando no modelo FM. É mais eficiente, é mais barato o custeio, a qualidade do áudio é muito melhor. Com isso, os profissionais podem receber melhores salários, a emissora, com o que economiza de recursos, pode investir em melhores programações. Ganha em qualidade a radiodifusão e, portanto, o Brasil”, afirmou.

 Até o fim de 2017, o MCTIC pretende completar o processo de migração para cerca de mil emissoras AM. Das 1.781 rádios AM do Brasil, 1,5 mil solicitaram a mudança. Nesta primeira etapa, os veículos poderão operar na faixa atual de FM, de 88 FM a 108 FM. As demais candidatas terão que esperar a conclusão do processo de digitalização da televisão, que vai liberar espaço para a modificação.

 



Fonte: Tudo Rádio
 
   
Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado do Rio Grande do Sul
Av. Getúlio Vargas, 774 - cj 604 - Bairro Menino Deus
CEP: 90.150-002 - Porto Alegre - RS - Fone: (51) 3231-4260
 
Sindiradio ® Todos os direitos reservados